Doação dos Alunos da Uningá

08/06/2020 18:27

O Hospital Regional, por meio da AAMHOR, recebeu a doação de vinte Pranchas de Comunicação Alternativa dos alunos do curso de Fonoaudiologia da Faculdade Uningá – Polo Grande Florianópolis. 

As pranchas de Comunicação Alternativa serão utilizadas para facilitar a comunicação de  pacientes que estão impedidos de falar ou estão com a fala comprometida com os profissionais de saúde. Por meio das pranchas, os pacientes poderão expressar o que sentem, vêem ou desejam. 
Aqui na foto, pranchas da equipe da UFRGS
 
Os ventiladores mecânicos, que ajudam pessoas a respirarem, estão muito comentados nas mídias por conta da sua utilização nos pacientes com a Covid-19. Entretanto, é pouco divulgada a necessidade desses pacientes de se comunicarem enquanto fazem uso do aparelho. Pensando nesse grupo de pessoas, e em outros que passam por situação semelhante, uma equipe multidisciplinar da UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul - desenvolveu pranchas de comunicação alternativa com o objetivo de auxiliar esses pacientes a se expressarem. 
Em Campo Grande, o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP/Ebserh), que já faz uso de sistemas de comunicação alternativa semelhante, adotará as pranchas elaboradas especificamente para pacientes hospitalizados com o objetivo de viabilizar e otimizar a comunicação. A Gráfica Pex imprimiu, por solicitação da fonoaudióloga Vanessa Ponsano Giglio, cinco pranchas de comunicação alternativa para os pacientes internados nas UTI´s e Unidade de AVC.Segundo a fonoaudióloga, o respirador e/ou outros procedimentos limitam ou impedem a  comunicação oral, sendo que o uso das pranchas representam um recurso de baixo custo, proporcionando ao paciente a possibilidade de expressar o que sente e suas necessidades,  além de facilitar o processo de interação com a equipe de saúde que o assiste naquele momento. Para a Pex, apoiar este projeto é de suma importância. “Sabemos que pode ter uma utilização maior neste momento por causa da pandemia, porém é um recurso que vai perdurar pela sua utilidade em variados casos, além de ser algo que pode se estendermesmo para pacientes em domicílio com dificuldades de comunicação”, avalia Glaucia Guerra da Pex. As pranchas são impressas frente e verso, sendo um dos lados com figuras e, do outro, com letras e números. Depois são plastificadas para facilitar a higienização. As pranchas utilizam símbolos pictográficos para permitir que o paciente comunique sentimentos, elabore perguntas simples, responda questionamentos feitos por familiares ou pela equipe de saúde e faça solicitações – de água ou um cobertor, por exemplo.
 
A entrega dos materiais foi realizada pelo Gestor da Uningá – Polo Grande Florianópolis, Dalton Fernando Hoffmeister e pela Tutora Patricia Chiossi, representando os alunos do curso de Fonoaudiologia matriculados no polo.
No registro destacam-se ainda, Nicoli Valverde Mafra Alves, fonoaudióloga, Magda Silva Gomes R2, Mayndra Marina Antunes R1, Raquel Tiezerin, voluntária da entidade, Arlindo Bunn (de pé) Diretor Financeiro, Romualdo Leone Tiezerin Presidente da AAMHOR e ainda Carolina Schmitz Tiezerin, estudante de Fonaudiologia da UFSC e ex-voluntária da AAMHOR.
 
 
 
 
 

otiliapagani otiliapagani@gmail.com

Anexos18:23 (há 1 hora)
 
para mim
 
 
 
 
 
 
O Hospital Regional, por meio da AAMHOR, recebeu a doação de vinte Pranchas de Comunicação Alternativa dos alunos do curso de Fonoaudiologia da Faculdade Uningá – Polo Grande Florianópolis. 
As pranchas de Comunicação Alternativa serão utilizadas para facilitar a comunicação de  pacientes que estão impedidos de falar ou estão com a fala comprometida com os profissionais de saúde. Por meio das pranchas, os pacientes poderão expressar o que sentem, vêem ou desejam. 
A entrega dos materiais foi realizada pelo Gestor da Uningá – Polo Grande Florianópolis, Dalton Fernando Hoffmeister e pela Tutora Patricia Chiossi, representando os alunos do curso de Fonoaudiologia matriculados no polo.