Projeto Sicredi em ação

12/10/2021 20:24

No último dia 25 de setembro foram entregues aos gestores dos dois Hospitais - HRSJ e ICSC, cadeiras plásticas com espaldar, para atender os pacientes das duas unidades Hospitalares. O equipamento é necessário para o atendimento e na recuperação dos pacientes em convalescença. Este item precisa de constante reposição, pelo seu alto giro e utilização.

Junto com membros da Diretoria ( Romualdo, Arlindo e Zulma) e Voluntários(Ieda, Neusa, Raquel e Valério) da AAMHOR, a foto registra a presença do:

Diretor do ICSC - Dr Tiago Master Pinto 

Gerente Adm. ICSC - Marciane Hillesheim

Gerente de enfermagem do ICSC - Ana Paula Trombeta

Diretor do HRSJ - Daywson Pauli Koerich

Gerente Adm HRSJ - Josemeri da Silva

Neste lote, foram entregues 150 unidades, que foram colocadas pelos gestores, conforme maior carência no momento.

"A AAMHOR está sempre nos apoiando nestas grandes causas. Isto aqui pode ser simples, mas é de enorme valia para os pacientes e seus familiares." - ressalta Dr. Tiago

"Sempre prontos a ajudar nosso Hospital, a AAMHOR é nosso suporte social e financeiro, muitas vezes, sempre procurando contribuir pela melhoria e boa vivência entre todos" - destaca Dr. Daywson.

Parte dos recursos, vieram do Projeto Conforto, aprovado pelo Fundo Social SICREDI, que em 2021, as agências de São José atenderam 4 projetos de 3 entidades, sendo elas a AAMHOR, o ROTARY CLUB e a NURREVE (Núcleo de Recuperação e Reabilitação de Vidas). Totalizando 33.700,00.

Desde 2018 a Sicredi Aliança RS/SC/ES cumpre com seu papel social de fazer a diferença na vida da comunidade por meio do Fundo Social, um programa que destina recursos para entidades que realizam ações sociais de interesse coletivo. Neste ano, o valor repassado chega a R$ 530.545,00, beneficiando 75 projetos aprovados na área de atuação da cooperativa, sendo 44 iniciativas no Rio Grande do Sul e outras 31 em Santa Catarina. “Como cooperativa, um dos nossos ideais é promover o desenvolvimento sustentável das regiões onde estamos inseridos. E nós reafirmamos esse compromisso através do Fundo Social, fazendo nossa contribuição para um futuro melhor”, avalia o presidente da Sicredi Aliança Ivo Miri Brugnera.

 Ao todo, 109 projetos foram cadastrados no Fundo Social 2021 da Sicredi Aliança RS/SC/ES, que encerrou suas inscrições no dia 10 de maio. Deste total, 84 propostas estavam aptas e 75 delas foram aprovadas após passarem pela análise dos coordenadores de Núcleo e do Conselho de Administração, estando liberadas a receber os recursos do programa. O percentual investido pela cooperativa nas iniciativas é de 2% sobre o resultado do exercício 2020, conforme previsto no Estatuto Social. A maioria dos projetos aprovados é da área da educação (33), seguida pelas áreas da saúde (com 18 inscrições), segurança (8), meio ambiente (6), cultura (6) e esporte (4).

RELEMBRE – Em 2020, devido à pandemia, o Fundo Social priorizou a área de saúde, direcionando todo o recurso – que chegou a R$ 275.400,00 (1% do resultado de 2019) – para a compra de materiais necessários à prevenção e combate ao Covid-19, como máscara, respirador descartável, álcool, materiais de limpeza e sanitização, luvas, oxímetros, testes rápidos, materiais hospitalares e tenda. Na oportunidade, 23 entidades foram beneficiadas (12 no Rio Grande do Sul e 11 em Santa Catarina). Dois municípios gaúchos – Santo Antônio do Palma e Marau – não utilizaram todo o recurso na saúde e, por isso, a cooperativa abriu inscrição de projetos para as demais áreas contempladas no regulamento. Em Santo Antônio do Palma foram investidos R$ 7,3 mil em dois projetos das áreas da educação e segurança. Já em Marau o valor de R$ 24 mil foi destinado a três projetos, dois de segurança e um de educação.

"A  AAMHOR estará sempre buscando parcerias para conseguir o melhor para atendermos nossa missão de : Atender com amor, respeito e carinho as necessidades de pacientes e familiares do HRSJ e ICSC.


Parabéns a todos os envolvidos neste valoroso projeto.

 
Fundo Social 2021 repassa R$ 530 mil e beneficia 75 projetos na área de abrangência da Sicredi Aliança RS/SC/ES
Recursos foram destinados para 44 projetos aprovados no Rio Grande do Sul e outros 31 em Santa Catarina
 
           Marau (RS) – Desde 2018 a Sicredi Aliança RS/SC/ES cumpre com seu papel social de fazer a diferença na vida da comunidade por meio do Fundo Social, um programa que destina recursos para entidades que realizam ações sociais de interesse coletivo. Neste ano, o valor repassado chega a R$ 530.545,00, beneficiando 75 projetos aprovados na área de atuação da cooperativa, sendo 44 iniciativas no Rio Grande do Sul e outras 31 em Santa Catarina. “Como cooperativa, um dos nossos ideais é promover o desenvolvimento sustentável das regiões onde estamos inseridos. E nós reafirmamos esse compromisso através do Fundo Social, fazendo nossa contribuição para um futuro melhor”, avalia o presidente da Sicredi Aliança, Ivo Miri Brugnera.
 
           Ao todo, 109 projetos foram cadastrados no Fundo Social 2021 da Sicredi Aliança RS/SC/ES, que encerrou suas inscrições no dia 10 de maio. Deste total, 84 propostas estavam aptas e 75 delas foram aprovadas após passarem pela análise dos coordenadores de Núcleo e do Conselho de Administração, estando liberadas a receber os recursos do programa. O percentual investido pela cooperativa nas iniciativas é de 2% sobre o resultado do exercício 2020, conforme previsto no Estatuto Social. A maioria dos projetos aprovados é da área da educação (33), seguida pelas áreas da saúde (com 18 inscrições), segurança (8), meio ambiente (6), cultura (6) e esporte (4).
 
RELEMBRE – Em 2020, devido à pandemia, o Fundo Social priorizou a área de saúde, direcionando todo o recurso – que chegou a R$ 275.400,00 (1% do resultado de 2019) – para a compra de materiais necessários à prevenção e combate ao Covid-19, como máscara, respirador descartável, álcool, materiais de limpeza e sanitização, luvas, oxímetros, testes rápidos, materiais hospitalares e tenda. Na oportunidade, 23 entidades foram beneficiadas (12 no Rio Grande do Sul e 11 em Santa Catarina). Dois municípios gaúchos – Santo Antônio do Palma e Marau – não utilizaram todo o recurso na saúde e, por isso, a cooperativa abriu inscrição de projetos para as demais áreas contempladas no regulamento. Em Santo Antônio do Palma foram investidos R$ 7,3 mil em dois projetos das áreas da educação e segurança. Já em Marau o valor de R$ 24 mil foi destinado a três projetos, dois de segurança e um de educação.